Quinta-Feira, 27 de Setembro de 2018, 09h:43

Tamanho do texto A - A+

Produtores de leite vão à Serra da Canastra buscar novos conhecimentos

Por: REDAÇÃO

O Sebrae/MT apoia a ida de 15 produtores de Mato Grosso, para a Missão Técnica Serra da Canastra,  no período de 24 a 27 de setembro. A região  mineira  produz o famoso Queijo da Canastra e é  uma das maiores produtoras de derivados de leite do Brasil. O grupo visitante pretende entender como está organizada a produção regional, sistemas tecnológicos, processos de certificação da produção e conquistas de mercados.

 

“Vamos visitar pequenos produtores, conhecer o modelo de comercialização e toda a parte legal. O que levou essas propriedades a se

DIVULGAÇÃO

PRODUTORES

 

tornarem legais perante a lei, na fabricação de queijo e derivados, qual o investimento feito por esses produtores e o em que lei eles se basearam para enquadrar a propriedade, se na lei Municipal, Estadual ou Federal”, explica o gestor do projeto Nosso Leite, Aureliano Pinheiro, lembrando que a região é composta por pequenos produtores.

 

A programação da missão será desenvolvida no entorno de São Roque, no centro-oeste mineiro, cidade palco da marca ‘Região do Queijo da Canastra’. A iguaria é um dos mais legítimos representantes da gastronomia mineira, tombada como Patrimônio Cultural e certificada pelo instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), com o selo de Indicação Geográfica, na modalidade Indicação de Procedência, que garante sua origem.

 

Segundo o gestor, a maioria dos produtores, que estão indo na missão, são do município de Nossa Senhora do Livramento e transformam o leite em derivado para vender em Cuiabá, que é o maior centro consumidor do Estado. “Mas,  temos um choque aí, porque a legislação municipal só me permite comercializar o meu produto no meu município e a gente sabe que no município de Nossa Senhora do Livramento o consumo é  limitado. Mesmo com a distância de a 30 quilômetros da capital Cuiabá, seria viável se pudéssemos vendar aqui nossa produção, mas como a  legislação Estadual é imposta, é  preciso fazer adequações, o que torna inviável essa possibilidade”.  

 

“Por isso,  a missão é importante, pois eles poderão conhecer a parte legal e esse é o nosso maior objetivo. A maioria dos produtores ainda trabalha informalmente, pois não sabe qual legislação seguir. Levá-los  então para conhecer as propriedades  mineiras, que conseguiram selos,  importante respaldo para comercialização nacional e até internacional, é uma forma de abrir novos caminhos para esse grupo que o Sebrae/MT atende”, defende Aureliano.

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei