Terça-Feira, 05 de Junho de 2018, 15h:54

Tamanho do texto A - A+

Planejamento bem desenhado é eficaz e mais sustentável

Por: REDAÇÃO

Histórias de sucessão familiar nem sempre são iguais – ou parecidas. Afinal, quando se trata de negócios, cada família traça uma trajetória diferente rumo ao futuro de suas empresas.

 

Na vida da empresária Aline Bortoli, que passou pela experiência de gerenciar uma empresa familiar, o processo de sucessão trouxe uma revelação: não existe uma fórmula perfeita [ou única] para o sucesso. No entanto, ela ressalta que é imprescindível a existência de um bom planejamento no sentido de auxiliar a governança das novas gerações. 

 

“Um programa de sucessão bem desenhado, que faz com que os novos profissionais saibam o caminho que devem trilhar na empresa, é mais sustentável ao longo do tempo. Não existe uma receita, existem prós e contras”, enfatiza.

 

Gestora, publicitária e uma das herdeiras do Grupo Bom Futuro, Bortoli discutirá o tema “Governança e Sucessão no Agronegócio” durante a primeira edição do evento “Elas no Campo 2018”, que acontecerá no dia 15 de junho, em Cuiabá.

 

Assessoria

Aline Bortoli

 

Aline Bortoli esteve por sete anos à frente do Grupo Bom Futuro – passando pelas áreas de marketing, piscicultura e suprimentos. Atualmente, trabalha como sócia e administradora de uma fazenda, oportunidade em que coloca em prática as suas estratégias de gestão. “É a minha própria experiência no agro”, reitera.

 

Ela complementa que a saída do Grupo não significou, entretanto, o afastamento dos negócios da família. Juntamente às primas, também herdeiras da empresa, Bortoli idealizou a comissão “Família de Futuro”. Entre as ações propostas pelo programa – que visa, sobretudo, a proximidade dos membros da família com a empresa e a capacitação de seus gestores – constam treinamentos para a nova geração de profissionais e visitações em sedes empresariais. 

 

“Através das ótimas condições dadas aos nossos colaboradores e dos detalhes pensados para a empresa, nós temos a grande oportunidade de contagiar o nosso meio com práticas e visões positivas e inovadoras”, pondera Bortoli diante de seu objetivo de perpetuar, por meio das novas gerações, o que já aprendeu. 

 

PANORAMA – Segundo dados de uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), que antecede o Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), uma em cada três propriedades rurais no país possui mulheres em cargos de comando. Há cinco anos, elas representavam apenas 10%.

 

O estudo ressalta que, quando não são as principais responsáveis pelas propriedades, elas atuam como administradoras, dividem as atividades com alguém da família ou estão sendo preparadas para assumir essas funções. O levantamento foi realizado ao longo de 2017 com 2.090 agricultores e 717 pecuaristas de 15 Estados.

 

ENCONTRO ELAS NO CAMPO 2018 – Conforme explica a diretora executiva do Grupo Valure, a coach e mentora de gestão Lorena Lacerda, sob o tema “Desenvolvendo Líderes para o Agro”, o encontro “Elas no Campo 2018” tem como intuito oferecer conteúdo de ponta sobre Gestão e Governança, bem como proporcionar o intercâmbio de conhecimento e experiências entre as participantes.

 

“O protagonismo feminino na Gestão e Governança dos negócios tem sido tema recorrente de discussão e análise dentro do processo de estimulo à maior imersão das mesmas. O ‘Elas no Campo’ é pensado justamente para proporcionar uma experiência única de aprendizagem e aprimoramento contínuo”, comenta Lorena.

 

PROJETOS SOCIAIS – Vale destacar que a lucratividade do evento será revertida para projetos sociais. No dia 15 de junho, o encontro “Elas no Campo 2018” se iniciará às 8h do dia 15 de junho e vai até às 18h no Gran Odara, em Cuiabá. Mais informações pelo contato (65) 3318-2600 ou pelo site www.elasnocampo.com.br .

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto