Sexta-Feira, 23 de Novembro de 2018, 15h:48

Tamanho do texto A - A+

Manejo correto do solo é chave para pecuária mais produtiva

Por: REDAÇÃO

Reprodução

Nelore

 

 

A fertilidade do solo é essencial a um pasto viçoso e produtivo e, consequentemente, à rápida conversão de capim em arroba de boi na atividade pecuária. Adubação e calagem, com a aplicação de doses regulares de calcário, devem seguramente entrar no manual do manejo das propriedades. Garantia de maior produção de alimento ao rebanho, por longo tempo.

 

Num panorama de contrastes na atividade pecuária, ainda há propriedades com baixo índice de uso de tecnologias, incluindo a aplicação de adubo e calcário, algo que deveria estar no planejamento e rotina das propriedades de todos os portes. Isso porque adubação e calagem não são insumos só à agricultura: ao contrário, são aliados da pecuária para uma conversão alimentar mais robusta.

 

O baixo custo do calcário gera boa resposta nas pastagens, tornando o insumo fundamental ao agregar uma série de benefícios ao empresário rural, incluindo a melhora no aumento do pH do solo, neutralização do alumínio tóxico e o fato de ser fonte de cálcio e magnésio. A acidez do solo mitiga a absorção do fósforo pelas plantas, principal nutriente para o processo vital das forrageiras.

 

Problemas na formação e manutenção tornam a pastagem menos produtiva e mais suscetível à degradação, prejudicando o rebanho e, a médio e longo prazo, cada vez mais a potencial lucratividade da atividade, conforme destaca a Embrapa, instituição referência em pesquisa agropecuária no Brasil. Não por acaso, entre os inimigos da boa formação e do desenvolvimento da pastagem estão o preparo inadequado da área cultivada, o uso de sementes de baixa qualidade, a semeadura em época ou profundidade inadequada e a liberação tardia do primeiro pastejo (liberação da área para que os animais se alimentem).

 

Nos critérios a serem observados pelos criadores estão as peculiaridades do solo e clima de cada região e áreas específicas, o que incorre num manejo customizado das forragens. “Portanto, é importante que o produtor rural seja bastante criterioso no desenvolvimento dessas fases. Sempre que possível, o produtor deve buscar, também, a orientação de um agrônomo ou de um zootecnista”, alerta a Embrapa.

 

Pesquisa – Em Mato Grosso, estudo conduzido pela Unemat no Nortão do Estado identificou que o V% (saturação por base) identificado em amostras de solo estava muito aquém do que é considerado ideal para a cultura da braquiária (pastagem largamente utilizada), de 45%, comprovando a demanda premente por calcário. Entre análises e cálculos, chegou-se à prescrição e aplicação de uma dose customizada de calcário de 1,6 tonelada por hectare de pasto.

 

Conforme os relatos científicos, o fornecimento de adubação somado ao corretivo de acidez de solo ajuda na recuperação da pastagem, com registro de um verdadeiro salto da ordem de 50% da produtividade da área de pastagem objeto da pesquisa. O pasto mais farto e nutritivo permite tanto a mais rápida engorda e reprodução quanto a inserção de mais reses no rebanho.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei