Terça-Feira, 06 de Março de 2018, 09h:18

Tamanho do texto A - A+

Em nova estimativa, Imea projeta 9,46 milhões de hectares de soja em MT

Por: DÉBORA SIQUEIRA - ESPECIAL PARA O HIPERNOTÍCIAS

Reprodução

Soja

 

O Instituto Mato-grossense de Economia Aplicada (Imea) refez as projeções para a safra 2018/2019 com aumento da área plantada para 9,46 milhões de hectares, na quarta estimativa de safra de soja mato-grossense. A revisão foi de 39,7 mil hectares a mais do que na última estimativa realizada em fevereiro.

Com relação à produtividade, neste momento com boa parte das lavouras já colhidas, as perspectivas acerca dos rendimentos a serem obtidos nas lavouras mato-grossenses começam a tomar forma. Contudo, algumas regiões vivem produtividades históricas, enquanto outras passam a amargar prejuízos.

Em uma análise regional, as regiões nordeste e sudeste apresentaram, em relação à safra 16/17, retração de 0,24% e 0,13%, com produtividades de 53,60 sacas por hectare e 55,82 sacas por hectare, respectivamente. As demais regiões apresentaram alta, com destaque para as regiões centro-sul e oeste, que registraram aumento de 2,92% e 6,92%, e produtividades de 56,38 e 57,73 sacas por hectare, respectivamente. “Observou-se produtores desfrutando de produtividades históricas e outros vivenciando problemas com as chuvas, dentro do mesmo município”.

Mas de forma geral, Mato Grosso deve aumentar em 1,06% a produtividade ante a safra passada. São previstas 55,68 sacas por hectare. Desta forma, com o ajuste na área e na produtividade esperada, a produção estimada para a safra 2017/18 é de 31,79 milhões de toneladas, aumento de 517,8 mil toneladas quando comparado à safra 2016/17.

Juliano Olejas

Parecis superagro

 

Milho

A terceira perspectiva do Imea para a safra 2017/18 de milho em Mato Grosso trouxe revisão tanto para a área destinada ao cereal, quanto para a produtividade. Com isso, a área passa a ser estimada em 4,49 milhões de hectares, avançando 0,56% em relação à estimativa anterior, pautada por grande parte da semeadura da safra 2017/18 ter caminhado dentro do que foi visto na média dos últimos cinco anos, em conjunto com as boas previsões climáticas nos próximos meses.

A produtividade também foi ajustada, passando a ser estimada em 96,3 sacas/ha. No entanto, ainda é esperado que o alto custo de produção e as baixas cotações do milho tenham limitado os investimentos e as destinações de áreas para o cereal no Estado e dado a isso a nova estimativa continua exibindo números abaixo aos da safra anterior. Assim, a nova estimativa de produção da safra 2017/18 apresentou um incremento de 1,97%, passando a ser de 25,91 milhões de toneladas.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei