Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018, 15h:02

Tamanho do texto A - A+

Combate às verminoses traz retorno econômico a pecuaristas

Por: REDAÇÃO

Cerca de 10 milhões de cabeças morrem anualmente em decorrência das verminoses no mundo.  Nos animais jovens, a categoria que mais sofre com a enfermidade, a mortalidade pode atingir 10%. Em função das condições climáticas nos países tropicais, o rebanho brasileiro em sua grande maioria sofre com a infestação parasitária durante todo o ano e mais intensamente no período da seca (inverno).

 

REPRODUÇÃO

AFTOSA

 

Em Mato Grosso, que possui maior rebanho nacional, com mais de 30 milhões de cabeças, o tratamento preventivo deve ser prioritário, por isso a Associação dos Criadores Nelore de Mato Grosso (ACNMT) promoveu nesta semana uma palestra aos seus associados com o tema: “Controle estratégico de verminoses 5-8-11”.

 

O programa abordado segue o calendário de vacinação contra a febre aftosa no Brasil (maio e novembro), acrescentando o mês de agosto apenas, época com poucas chuvas e também de maior infestação de vermes.

 

“O impacto econômico é grande, pois com essa estratégia o produtor mantém seu animal livre de verminoses o ano inteiro, gerando melhor ganho em peso, principalmente entre a desmama e os 24 meses, idade onde o prejuízo é mais significativo. Uma outra vantagem da estratégia é conseguirmos fazer com que as fêmeas cheguem mais cedo à fase de reprodução”, explica o médico veterinário Matheus Boris.

 

Matheus, que é técnico da empresa Zoetis Saúde Animal nos estados de  Mato Grosso, Rondônia e Acre, salienta que nos países  clima tropicais, como é o caso do Brasil,  a proliferação de verminoses é comum, mas ainda não é considerada prioridade para grande parte dos produtores, o que é um equívoco. “Não adianta investimentos apenas em genética e nutrição sem este cuidado básico e que compromete o melhor potencial de rendimento de todo o rebanho”.

 

A palestra foi realizada nesta segunda-feira (12.11), na sede da ACNMT, no Parque de Exposições Senador Jonas Pinheiro, em Cuiabá. Desde abril, a associação vem promovendo palestras, sempre às segundas-feiras, as 19 horas, com o intuito de promover a interação entre os criadores e levar informações sobre novas tecnologias e técnicas de produção sustentável.

 

Para o presidente da entidade, Mario Candia, as informações tratadas são importantes para que os pecuaristas apliquem cada vez mais as melhores tecnologias e aprimorem o seu negócio, de maneira sustentável. "Queremos promover mudanças positivas e avançar cada vez mais com a cadeia produtiva da carne no estado".

 

Verminoses x rendimento

 

Os efeitos da verminose sobre os bovinos dependem da espécie do verme e do grau de infestação, mas, de maneira geral, eles reduzem a absorção de nutrientes e prejudicam a utilização do alimento (síndrome da má absorção), destroem o local parasitado e podem em casos mais severos, causar a morte.

 

Os animais parasitados apresentam baixo desempenho produtivo, redução anual no ganho de peso em até 30 kg . As categorias mais sensíveis são: da desmama até a  recria e as vacas no pré-parto. Nos animais jovens, há risco ainda de atraso no crescimento, e diminuição do peso à desmama e nas matrizes, menor taxa de concepção.

 

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei