Quinta-Feira, 27 de Setembro de 2018, 14h:34

Tamanho do texto A - A+

Chuva será regular nesta safra em Mato Grosso

Por: REDAÇÃO

A semeadura da soja está liberada em Mato Grosso desde 16 de setembro, com o fim do Vazio Sanitário. O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em seu boletim de semeadura da safra, informa que até o início da semana foram semeados 0,83% da área de 9,5 milhões de hectares no estado. Os produtores rurais aguardam a regularização das chuvas para jogarem as sementes na terra.

 

DIVULGAÇÃO

chuva


Meteorologistas preveem precipitações regulares até fim do ano e diminuição no início de 2019 

Para o agrometorologista Luiz Carlos Molion, doutor da Universidade Federal do Alagoas, é prudente que o agricultor aguarde mais alguns dias para o início do plantio. Viemos de um período de 180 dias com déficit de chuvas que, dependendo do local, está entre 25% a 35% abaixo do normal. Então, é preciso que o solo recarregue a umidade para aí, sim, fazer a semeadura , diz.

 

Segundo o especialista, de outubro a dezembro haverá chuvas acima da média entre 10% a 20% e, de janeiro a março, deverá haver redução de 20% a 40% nas precipitações. Mas considerando todo o cultivo deve ficar uma média de 800mm a 1000mm acumulado de outubro a março. Isso é mais que suficiente para garantir a produtividade dos cultivos neste período , afirma Molion.

 

Luiz Renato Lazinski, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), também concorda que não haverá problemas climáticos para o início do plantio da safra de soja 2018/19. Agora vivemos um período chamado neutralidade climática, quando estamos sem El Niño e sem El Niña. A tendência é que durante toda a primavera esta situação irá persistir , relata.

 

Lazinski também explica que o El Niño deve retornar a partir de dezembro, mas com uma atividade fraca a moderada. Assim, as chuvas devem diminuir na região Norte de Mato Grosso. Resumindo: começamos muito bem, mas da metade para o final da safra, a parte Norte do Estado pode ter chuvas mais irregulares, mal distribuídas, e o veranico pode atrapalhar um pouco , finaliza o especialista.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei